TECNOLOGIA, DESIGN E INOVAÇÃO NO ARTESANATO

2016 - 2014

Trabalho de consultoria em design, realizado para o IPTI – Instituto de Pesquisas em Tecnologia e Inovação. Projeto realizado com apoio do SEBRAE Nacional e do Governo do Estado de Sergipe.

IMG_0017.JPG

Projeto de tecnologia social com foco em economia criativa criado e administrado pelo IPTI – Instituto de Pesquisas em Tecnologia e Inovação, com apoio SEBRAE Nacional e Governo do Estado de Sergipe. Teve como objetivo aplicar conhecimento científico e tecnológico para a construção de um modelo inovador, baseado numa integração coordenada e sustentável entre design contemporâneo e processos artesanais, tendo em vista o desenvolvimento de produtos com alto valor agregado, estabelecimento de inovação e aumento da competitividade.

 

Em 2014, convidada pelo IPTI, me mudei para Piranhas – Alagoas com a tarefa de coordenar o núcleo de design local do projeto, sendo responsável pela inferface entre os artesãos e os designers contratados, realizando o processo de viabilização dos produtos propostos, pesquisa e contato com fornecedores, melhoria de processos e soluções, precificação de produtos, documentação e registros, elaboração de catálogos, implantação de processos de controle de qualidade e produção de pequenos lotes iniciais de produtos.

 

No período de Março/2014 a Maio/2016 foram realizadas 156 oficinas técnicas de desenvolvimento de produtos envolvendo mais de 140 artesãos das regiões de Sergipe, Alagoas e Bahia. Foram desenvolvidos mais de 80 produtos, distribuídos em quatro coleções: Desconstrução, Transgressão, Interfaces e Retratos Iluminados.

Catálogo Coleção #01
Catálogo Coleção #01
press to zoom
Catálogo Coleção #02
Catálogo Coleção #02
press to zoom
Catálogo Coleção #03
Catálogo Coleção #03
press to zoom
Catálogo Coleção #04
Catálogo Coleção #04
press to zoom

OFICINAS

As oficinas são momentos fundamentais de aproximação e conexão com os grupos. O contato inicial, sem jeito, quase bruto, aos poucos vai dando espaço a algo que parece uma casa em festa. É isso que é o coração de uma artesã: um colo pronto pra receber, uma alegria pronta pra explodir, mãos sempre prontas pra trabalhar.

Quanto mais confiança existe na relação, mais proveitosos são os encontros. Não se trata de pedir e receber, levar um desenho e trazer um produto. A participação é fundamental. Todo processo criativo e construtivo só é prazeroso, fértil, quando todos participam. É uma troca onde o resultado é muito mais que um produto. É uma conscientização do próprio talento, é um prazer-de-saber-fazer, é descobrir o próprio poder.

Oficina com artesãs da Cooperativa Sítio dos Bordados (SE) - 2016
Oficina com artesãs da Cooperativa Sítio dos Bordados (SE) - 2016
press to zoom
Oficina com artesãs da Casa dos Bordados de Entremontes (AL) - 2015
Oficina com artesãs da Casa dos Bordados de Entremontes (AL) - 2015
press to zoom
Oficina com artesãs da Casa dos Bordados de Entremontes (AL) - 2015
Oficina com artesãs da Casa dos Bordados de Entremontes (AL) - 2015
press to zoom
Oficina com artesãs da Associação da Cultura artesanal de poço  Verde (SE) - 2015
Oficina com artesãs da Associação da Cultura artesanal de poço Verde (SE) - 2015
press to zoom
Oficina com artesãs da Casa dos Bordados de Entremontes (AL) - 2015
Oficina com artesãs da Casa dos Bordados de Entremontes (AL) - 2015
press to zoom
Oficina com artesãs rendeiras de Poço Redondo (SE) - 2015
Oficina com artesãs rendeiras de Poço Redondo (SE) - 2015
press to zoom
Oficina com artesãs da Casa dos Bordados de Entremontes (AL) - 2015
Oficina com artesãs da Casa dos Bordados de Entremontes (AL) - 2015
press to zoom
Alongamento - sempre realizado ao início e fim de cada oficina.
Alongamento - sempre realizado ao início e fim de cada oficina.
press to zoom

ASSOCIAÇÕES E TÉCNICAS

Durante os dois anos foram desenvolvidas atividades com cinco associações e cinco técnicas artesanais:

- Associação dos Bordados de Entremontes (Piranhas – AL) - bordado Redendê e Ponto Cruz;
- Cooperativa das Bordadeiras de Sítios Novos – Um sonho a Mais (Poço Redondo – SE), - bordado Redendê e Ponto Cruz;
- Cooperativa dos Artesãos de Ilha do Ferro – Art-Ilha - bordado Boa Noite;
- Associação dos Artesãos do Município de Poço Redondo - Renda de Bilro;
- Associação da Cultura Artesanal de Poço Verde - Tecelagem Manual em tear de 2 e 4 pedais;

A cada semana eram realizadas oficinas em dois grupos, onde os produtos eram testados e aperfeiçoados.

Bordado Redendê
Bordado Redendê
press to zoom
Mostruário pontos Bordado Redendê
Mostruário pontos Bordado Redendê
press to zoom
As artesãs dividindo uma peça, prática comum em peças muito grandes.
As artesãs dividindo uma peça, prática comum em peças muito grandes.
press to zoom
Dona Senira rendeira e sua almofada de fazer renda.
Dona Senira rendeira e sua almofada de fazer renda.
press to zoom
Renda de Bilro
Renda de Bilro
press to zoom
Renda "Taipa" criada para a coleção #02
Renda "Taipa" criada para a coleção #02
press to zoom
O bordado Boa Noite em sua primeira fase: o desfiado.
O bordado Boa Noite em sua primeira fase: o desfiado.
press to zoom
Bordado Boa noite
Bordado Boa noite
press to zoom
Flor Boa noite, origem do nome da técnica exclusiva da Ilha do ferro.
Flor Boa noite, origem do nome da técnica exclusiva da Ilha do ferro.
press to zoom
Tecelagem manual com tear quatro pedais
Tecelagem manual com tear quatro pedais
press to zoom
Repasse utilizado para criação da padronagem no tear de quatro pedais
Repasse utilizado para criação da padronagem no tear de quatro pedais
press to zoom
Tecelagem manual
Tecelagem manual
press to zoom